AS EXIGÊNCIAS DA CAMPANHA

Exigimos ações tangíveis por parte dos supermercados, governos nacionais e União Europeia para melhorar as condições laborais e para diminuir o impacto ambiental ao longo das cadeias de fornecimento. Os supermercados precisam de assumir responsabilidades pelas circunstâncias sob as quais os seus produtos de marca própria são produzidos.

Os governos, tanto dos países produtores como consumidores, precisam de adotar legislação que obrigue os supermercados a respeitar os direitos humanos e dos trabalhadores ao longo das suas cadeias de fornecimento e a atuarem de forma responsável relativamente ao ambiente.

 

Exigimos dos supermercados europeus:

  • Que tendo em vista cumprirem as suas responsabilidades no respeito dos direitos humanos, e a melhorarem as condições laborais ao longo da totalidade das suas cadeias de fornecimento, implementem:

    1. O Guia de Principios das Nação Unidas sobre Empresas e Direitos Humanos (2011),
    2. Guia da OCDE para as Empresas Multinacionais (revisto em 2011), e
    3. Declaração de Principios Tripartida da Organização Internacional do Trabalho (OIT) relativa às Empresas Multinacionais e Politicas Sociais (2006).

  • Um esforço continuado e proativo para diminuir o impacto ambiental ao longo das suas cadeias de fornecimento:

    1. Medir e tornar público o impacto ambiental dos produtos de acordo com métodos transparentes e internacionalmente aceites,
    2. Fazer um esforço continuado e proativo para diminuir o impacto ambiental de todos os produtos de marca própria em todas as fases do ciclo de vida de cada produto,
    3. Implementarem ums gestão sustentável do seu portfolio de produtos,
    4. Desenvolver e implementar uma estratégia de longo prazo para reduzir a Pégada Ambiental total dos produtos.

  • Adotar sistemas de verificação de sustentabilidade ambiental e social, e contribuir para a sua melhoria contínua,
  • Definir preços de retalho de forma responsável.
  • Tornar as condições de produção transparentes para o consumidor.

 

Exigimos que a União Europeia:

  • Renove o quadro da politica Europeia de competição empresarial.
  • Aprove as necessárias medidas legislativas que ponham fim às Práticas Injustas de Comércio.
  • Adopte o Guia de Cadeias de Fornecimento Agrícola Responsável da FAO-OCDE.

 

Exigimos que os governos nacionais dos países da União Europeia:

  • Estabeleçam quadros legais que responsabilize efetivamente os retalhistas pelas violações dos Direitos Humanos e pela destruição ambiental ocorrida ao longo das suas cadeias de fornecimento.
  • Assegurem que as requisitos dos relatórios não financeiros sejam estendidos para as cadeias de fornecimento das empresas  na transposição da Diretiva Europeia sobre a divulgação de informação não financeira e diversa por parte de grandes empresas e grupos económicos (NFR; 2014/95/EU2).

 

Leia a lista completa de exigências aqui (em Inglês)